A canção é uma poesia ajudada | Poemas que viraram música

Fernando Pessoa dizia que “a canção é uma poesia ajudada”,  mas algumas vezes é a própria poesia quem ajuda uma canção a nascer.

E pra quem gosta de música e poesia nada mais prazeroso que os poemas que viram música. Tem dois poemas que adorava quando eram escrita mas viraram música, e passei a gostar mais ainda! Um na voz de Zeca Baleiro e outro de Carla Bruni

“Nalgum Lugar” é um poema lindo do americano e.e. cummings que foi musicado pelo brasileiro Zeca Baleiro no CD Líricas de 2000. Uma versão apaixonante.

Nalgum Lugar

nalgum lugar em que eu nunca estive, alegremente além
de qualquer experiência, teus olhos têm o seu silêncio:
no teu gesto mais frágil há coisas que me encerram,
ou que eu não ouso tocar porque estão demasiado perto

teu mais ligeiro olhar facilmente me descerra
embora eu tenha me fechado como dedos, nalgum lugar
me abres sempre pétala por pétala como a Primavera abre
(tocando sutilmente, misteriosamente) a sua primeira rosa

ou se quiseres me ver fechado, eu e
minha vida nos fecharemos belamente, de repente,
assim como o coração desta flor imagina
a neve cuidadosamente descendo em toda a parte;

nada que eu possa perceber neste universo iguala
o poder de tua imensa fragilidade: cuja textura
compele-me com a cor de seus continentes,
restituindo a morte e o sempre cada vez que respira

(não sei dizer o que há em ti que fecha
e abre; só uma parte de mim compreende que a voz dos teus olhos é mais profunda que todas as rosas)
ninguém, nem mesmo a chuva, tem mãos tão pequenas!

O outro poema é do francês Michel Houellebecq e se chama “La possibilité d’un île”, que foi lindamente transformado em música por Carla Bruni no CD Comme si de rien n’était de 2008.

La possibilité d’un île

Ma vie, ma vie, ma très ancienne
Mon premier voeu mal refermé
Mon premier amour infirmé,
Il a fallu que tu reviennes.

Il a fallu que je connaisse
Ce que la vie a de meilleur,
Quand deux corps jouent de leur bonheur
Et sans fin s’unissent et renaissent

Entrée en dépendance entière,
Je sais le tremblement de l’être
L’hésitation à disparaìtre,
Le soleil qui frappe en lisière

Et l’amour où tout est facile,
Où tout est donné dans l’instant;
Il existe au milieu du temps
La possibilité d’une île.

Queria lembrar de outros poemas que foram musicados mas só essas me vem a mente agora…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s