Sem amor não rola | Diálogos de cama

Desligo o celular.

– Quem era?

– O Jorginho. Queria vir aqui ver a gente transando.

– Que!? O que você tá dizendo???

– Que era o Jorginho, meu amigo, fizemos faculdade juntos e ele queria vir aqui, porque sabe que você está na cidade e queria ver a gente transando.

– Você tá de brincadeira né! Você tá de sacanagem com a minha cara!?

– Ué, qual é o problema?

– Qual é o problema!? Como assim qual é o problema? Eu sou homem, sou macho caralho! Como você me vem com uma merda dessas!??

– Felipêe! Ele quer vir veeeeer a gente transando, ver! Ele não quer te comer não!

Rio me espalhando na cama.

– Puta que pariu! Caralho mermão! Você é doente! Acha que eu vou aceitar que um cara venha aqui te comer na minha cara!?

– Meu Deus Felipe! Qual a parte do ele quer vir veeeer a gente transando que você não entende!? Ver, ver, ver! Ele vai vir aqui, vai sentar alí naquela poltrona, e vai ficar caladinho vendo a gente phoder gostoso aqui, nessa cama. Vem aqui meu amor, vem…

– Puta merda! Você quer que eu fique aqui fazendo xvideos ao vivo pra seu amiguinho bater punheta!? É isso que eu tô entendendo? É isso que você tá me propondo?

– Eu não estou te propondo nada Felipe! Como você ouviu, disse a ele que não iria rolar porque sabia que você não toparia.

– Aaah! Então quer dizer que se eu “topasse” você transformaria esse quarto num puteiro!? É isso!?

– Afe! Que saco você! Sua caretice, sua babaquice! Que puteiro Felipe, que puteiro!? Uma brincadeira entre amigos, que se curtem que se admiram que partilham intimidades…

– Hahahahaha promiscuosidade agora virou “partilhar intimidades” hahahaha você é louca!

Respiro.

– Primeiro, não é promiscuooosidade, é pro-mis-cu-i-da-de! Segundo, vou transar contigo e não com ele, isso não tem nada de promiscuo, e terceiro isso tem mais a ver com amor que com sexo seu besta! E sai da minha frente! Ô geração sessenta e dois!

Entro no banheiro.

Toc, toc, toc.

– Abre a porta!

– Me deixa Felipe! Não quero tomar banho com platéia – grito do chuveiro.

– Banho com platéia não quer, mas phoder pra galera tudo bem né… eu hein, geração anos noventa… onde já se viu uma merda dessas… chamar um amigo pra vir ver a gente transando! Puta que pariu! Não! Isso pra mim não dá… pode me chamar de velho, careta, ultrapassado mas não vou aceitar isso nunca… que putaria é es….

– Que que foi hein? O que você tá resmungando aí ? – saio do banheiro enrolada na toalha.

– Nada… Nada não. Só acho que você deveria rever essas suas “amizades”… Porra amor, o cara te liga pra querer te ver transando! Um pervertido! Um doente!

– Felipe – respiro bem fundo – o Jorginho não é um pervertido, ele só queria ver duas pessoas que se amam de verdade fazendo amor de verdade, porque isso não tem no xvideos!

– Hahaha! E desde quando você me ama?

– Desde que inventei que te amo ué.

– Ah é. E quando foi isso? Quando foi que a senhorita inventou o amor?

– Ontem.

– Ontem?

– Sim, ontem, antes de você chegar. Estava no aeroporto esperando seu avião pousar, olhando as pessoas, o vai e vem, os encontros, as malas, os abraços, as despedidas, a tristeza a paixão o beijo… e me deu uma vontade de amar alguém, só pra poder chorar no aeroporto!

– Meu deus, tô fudido mesmo – Felipe balançou a cabeça.

– E como você estava chegando pra passar o feriado comigo, pensei que seria uma boa te amar! E aqui estou, amando você!

– Então quer dizer que é tudo mentira?

– Não. Nada é mentira. É criação meu amor. Eu te amo até você ir embora. Te deixo no aeroporto, a gente se abraça, faz juras de amor eterno, eu choro, nos beijamos, você parte e no dia seguinte vamos trabalhar como após qualquer feriado!

– Eu não acredito! Simplesmente não acredito… os beijos, os jantares, os presentes, o sexo… parecia tudo tão real… parecia tudo verdade! Você me enganou! Que vagabunda…

– Meu amor… não diga isso, você me ama!

– Não! Não mesmo! Não te amo mais, você é uma putinha mentirosa! Eu não te amo! Não mesmo!

– Ah é. E quando foi que deixou de me amar senhor Felipe?

– Ontem também! Quando você me pegou no aeroporto com esse teu amor de “brincadeirinha”. E quer saber!? Liga aí pro teu “amiguinho” e manda ele vir agora pra cá que vou foder você, ele e a porra toda!

– Ah! Mas aí não vale! Tem que ser sexo com amor. Essas phodas de redtube a internet está cheia.

– Impossível! Não tem mais amor pra você aqui nesse pau não! Pode armar a lona do puteiro que eu tô dentro!

– Ok então… suspende o amor…

– Liga logo pra ele que vou foder pra porra hoje.

– Alô? Oi. Jorginho…

– E aí? Ele já tá vindo?

– Não. Ele não quis mais… Te avisei, sem amor não rola.

Um comentário em “Sem amor não rola | Diálogos de cama

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s