Ler Sade ao meio dia

Ver um amigo partindo é como ler Sade ao meio dia… despedidas revelam o pior de nós… descobrimos que o amor é egoísta e que a dor sempre volta depois do porre. Meu primeiro amigo, irmão, parceiro de todas as barcas… nos conhecemos aos 18 anos… em muitos momentos cada um tomou seu rumo mas os destinos sempre convergiram aqui, na terra dos encontros ❤️ agora vejo ele partindo e deveria me alegrar porque ele está feliz, com mil perspectivas, novo amor, nova vida… mas o amor é mesquinho e incita uma vontade secreta de gritar ne me quitte pas e se jogar no saguão do aeroporto… me dói abandonar o mundo que criamos… me assusta beber por aí sem ele… e mais que tudo me enoja o amor e sua estúpida fragilidade. Au revoir.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s