Ela está no meio de nós

Nunca sabemos quando estamos nos despedindo de alguém. Às vezes aquele telefonema ou aquele encontro ao acaso, não é fortuito. É a vida te oferecendo uma despedida, um grand finale para aquela historia terrena.

Não deixe pra um momento mais propício o amor que você pode dar hoje… o amanhã não existe, pra ninguém.

E isso não é carpe diem, isso é sapere aude, atreva-se a pensar por si mesmo e agir também por si mesmo, era isso que Kant dizia. Dê o que tiver que dar, dê tudo, não guarde nada, o amanhã não existe!

A morte tem me cercando por todos os lados, e cada vez que ela leva um, me assopra a nuca e chia: os cães abandonam a casa pra morrer os humanos voltam a ela… fingo que não a escuto, ela ri e segue desfilando, leve, quase imperceptível, no meio de nós… sim, o tempo todo “Ela está no meio de nós”…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s