Costurada na saudade

Costurada na saudade, me dá medo gestos bruscos. Até certos movimentos me fazem pensar duas vezes. Não, não é medo, é aflição mesmo. Aquele ruído das linhas se rompendo me aflige… é insuportável.

Me sinto como Sartre quando a náusea o impedia de vislumbrar um novo amor… aquele abismo que ele não estava mais disposto a pular… eu também não estou, talvez porque esteja tendo espaço pra pensar… e se pensamos não saltamos, diria ele… acho que Sartre tem razão…

Talvez um dia a vida me perdoe por desperdiçar os novos amores… estou exausta… não posso mais subir, não aguento mais descer… pela primeira vez a montanha russa perdeu a graça… talvez seja apenas um momento ou talvez seja o inevitável peso dos anos petrificando o coração… quem sabe? eu não sei, apenas vivo, apenas sinto… apenas sinto que não posso mais dar um único passo em direção ao mundo de ninguém… sorry… good luck…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s