O prazer da palavra amor

me vejo no limite da aproximação e não sei como lhe dizer o quanto isso me assusta.

no prazer da palavra me sinto no muro de Sartre… a visão da distância dissipando, me turva o olhar… e só me restam as palavras… aquelas que não são mais minhas, aquelas que joguei para a existência própria, para aquele universo paralelo que Rilke tenta explicar a Salomé na embriaguez do amor…

… o inatingível mundo das palavras depois de proferidas… o inimaginável mundo do amor depois que as recebe… um, dois, três versos, dez livros, vinte bibliotecas inteiras! Nem cem dicionários poderiam acalmar o inefável que pulsa na alma dos amantes!

amantes…
amantes são os que amam…
amam o amor? amam o objeto amado? amam amar?
ou será que simplesmente, amam o prazer de usufruir da palavra amor!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s