Faringe

Bateu tanta punheta depois que a conheceu que deslocou o ombro. Devido a imobilização teve que começar a masturbar-se usando a mão esquerda. Como era canhoto a esquerda era a mão mais forte e não lhe servia, pois os orgasmos que tinha pensando nela, só podiam ser produzidos por uma mão leve, suave, como imaginava […]

Leia mais Faringe

Sete copos de lágrimas

sete copos de lágrimas derramadas… sete dias de escuridão e as luzes da cidade se acendem com a força de uma usina inteira… sete noites na prisão dos aflitos pra uma vida plena de liberdade… no fim das contas o que nos cabe é sempre agradecer… agradecer às pessoas sem caráter, que de seus labirintos […]

Leia mais Sete copos de lágrimas

Só a noite me cura

Só a noite me cura. Passo o dia entre ganâncias e planilhas quase sem me alimentar. Espero o fim do dia como quem espera a endorfina. Sei que vai passar. Mas enquanto isso só a escuridão me alivia, só meu quarto me protege. Chego em casa, desligo o celular, como nos velhos tempos. Entro no […]

Leia mais Só a noite me cura

No dia em que me despedi

No dia em que me despedi, nada entendi daquela dor… daquele amor que enterrou todos os outros. Meu olhar de destruição… o seu, ruínas… frases que não tomaram forma porque inventaram aquela maldita palavra que nos isenta de tentar compreender: inefável! I-ne-fá-vel… Ainda morro de vez em quando tentando achar o gatilho… encontro, e justo […]

Leia mais No dia em que me despedi

Imortal até o dia de minha morte

sou imortal, até o dia de minha morte… e assim vivo cada segundo, de costas para o muro… aquele mesmo muro que Sartre cravejou de balas de espingarda… aquele mesmo muro que manteve despertos numa cela três homens e um belga… aquele mesmo muro que separou vivos-mortos de vivos-vivos… sempre quis saber o que tinha […]

Leia mais Imortal até o dia de minha morte